Pantanal: Uma história de amor e vida no paraíso ecológico

Uma marca da teledramaturgia brasileira

A trama conta a história de um casal de posseiros que chega ao Pantanal à procura de “uma terra que não tenha tantos donos”. Maria Marruá (Cássia Kiss) e Zé (José Dummont), depois de muito sofrerem com a perda de todos os seus filhos em conflitos com fazendeiros, resolvem reconstruir suas vidas na região do Pantanal.

Quando chegam, Maria engravida indesejadamente. A cena na qual Maria dá a luz à menina Juma é histórica: a mulher, com o intuito de abandonar a filha, sobe numa canoa e, no meio do rio, dá a luz. Em seguida, abandona a filha e empurra a canoa rio acima. Desesperada, volta e resgata o bebê, arrependida do que fizera e esperançosa de que o que ocorrera com os outros filhos não se repita com Juma. A partir daí, começa uma verdadeira trama, transformando os personagens em heróis e verdadeiras lendas.


Cristiana Oliveira interpreta Juma, criada por sua mãe, que ficara viúva. Da mãe, herdou o dom de virar onça quando se sentisse ameaçada. A jovem conhece Jove interpretado por Marcos Winter, filho de Zé Leôncio (Claudio Marzo), um dos mais importantes fazendeiros da região. Jove fora criado em São Paulo e resolve morar no Pantanal com o pai, quando rapaz. A partir daí, o Pantanal vira o cenário de uma forte história de paixão e amor envolvendo os personagens.

Paralelamente, Ângela Leal vivia Maria Bruaca, uma esposa totalmente curvada às ordens de seu marido, Tenório. Mulher totalmente reprimida, se revolta com os maus tratos do marido quando descobre que ele tem outra esposa e com ela três filhos. Bruaca se apaixona pelo Peão Alcides(Ângelo Antônio) e deixa o marido para viver seu amor com o rapaz. Tenório é o mesmo homem que vendeu sítios que não lhe pertenciam para os pais de Juma, o que causou uma guerra entre os verdadeiros e os novos donos, resultando na morte de todos os filhos de Maria Marruá.
O dia que a Globo tremeu


Depois de sucessivas tentativas de emplacar a novela baseada no Pantanal matogrossensse na TV Globo, onde fora responsável por vários sucessos anteriormente, Benedito Ruy Barbosa trocou a líder por sua maior concorrente no ramo da dramaturgia: A TV Manchete. Jayme Monjardim, então Diretor de dramaturgia da emissora de Adolpho Bloch, acertou o contrato com o autor, sob a promessa de enfim realizar sua tão sonhada trama.

Inicialmente Adolpho Bloch pensava em lançar a novela na faixa das 19hs. Porém, o projeto foi modificado e ficou resolvido que Pantanal substituiria “Kananga do Japão”, às 21h30.

Pantanal foi o maior sucesso da Rede Manchete e uma das mais marcantes novelas da TV Brasileira. Sua elevada audiência levou a emissora dos Blochs ao primeiro lugar absoluto no horário, ameaçou as concorrentes e fez tremer as bases da Rede Globo.

A novela foi ao ar de 27 de março a 10 de dezembro de 1990, às 21h30. Foi escrita por Benedito Ruy Barbosa, com direção geral de Jayme Monjardim.

A novela ainda rendeu duas reprises. Uma em 1992, e outra em 1998 (quando a Manchete foi vendida para a RedeTV!).

o SBT comprou as fitas da novela arrematadas no leilão da massa falida da Manchete e reexibiu Pantanal, na faixa de 22h, entre 9 de junho de 2008 a 13 de janeiro de 2009.

Fontes: Diogo Montano/ REDE MANCHETE .NET
Fotos: SBT/Divulgação

Leia também:
Pantanal: Quem é quem