Série ‘Filhas de Eva’ estreia no Globoplay nesta segunda, dia 8


Série, 2021
Drama
Temporada 1 – 12 episódios
Elenco: Renata Sorrah, Giovanna Antonelli, Vanessa Giácomo, Dan Stulbach, Stênio Garcia, Cacá Amaral, Debora Ozório.

A série conta a trajetória de três mulheres que estão presas a padrões que não as fazem felizes. Após 50 anos de casamento, Stela decide se separar e acaba mudando a vida das pessoas a sua volta, principalmente a de Lívia, sua filha, e a da, até então desconhecida, Cléo.

Renata Sorrah, Giovanna Antonelli e Vanessa Giácomo são as protagonistas deste drama leve, com pinceladas de humor cotidiano e que levanta reflexões comuns a todos. Logo no primeiro episódio da série, Stella (Renata Sorrah), Lívia (Giovanna Antonelli) e Cléo (Vanessa Giácomo) têm suas vidas entrelaçadas. O pontapé inicial para o encontro é a festa de Bodas de Ouro de Stella e Ademar (Cacá Amaral) – um evento chique e elegante.

É durante sua festa de Bodas de Ouro – quando assiste ao vídeo dos 50 anos de casamento com Ademar – que Stella percebe: aquela moça das fotos antigas, otimista e destemida, se perdeu. Ao não se reconhecer mais na vida que construiu com a família ao longo de tantas décadas, ela não consegue se conter: pede o divórcio. Uma decisão inesperada que muda a vida de todos a sua volta, principalmente a de sua filha Lívia e da até então desconhecida Cléo, que levou o bolo da festa.

Filhas de Eva conta a trajetória dessas três mulheres que estão presas a padrões que não as fazem felizes. Stella repete o destino de sua geração, que abriu mão de sonhos pelo casamento e pela maternidade. Lívia tem sua carreira, mas sofre por não ter o controle da vida afetiva que idealizou. Já Cléo, com sua baixa autoestima, precisa garantir teto e sobrevivência antes de pensar em qualquer realização pessoal. Enquanto isso, Dora (Debora Ozório), neta de Stella e filha de Lívia, se debate entre os modelos familiares e o feminismo das jovens de hoje.

Na série, escolhas que representam renúncias e oportunidades para se reinventar estarão presentes na vida de cada personagem. Histórias permeadas por conflitos e encontros convidam o público a pensar: quase todo mundo diz que quer mudar. Mas quem tem, de fato, coragem de mudar?

Aos 72 anos, Stella teve coragem. O livre arbítrio, os conceitos subjetivos de ética e moral, assim como a coragem para assumir riscos e tomar decisões complexas, dão o tom da trama, que se passa no Rio de Janeiro contemporâneo.

Deixe um comentário