Globo exibe na TV a série documental ‘Em Nome de Deus’


A série documental ’Em Nome de Deus’, lançada ano passado no Globoplay, será exibida na TV Globo a partir do dia 3 de março, logo após o ‘Big Brother Brasil 21’. Em três episódios, a série acompanha a história do médium João de Deus desde a sua infância no interior de Goiás, até sua prisão por crimes sexuais, mostrando ainda o trabalho de investigação realizado ao longo de 18 meses, a dualidade e os crimes atribuídos ao curandeiro. Com condução de Pedro Bial e da roteirista do ‘Conversa com Bial’ Camila Appel, a série traz ainda entrevistas com as vítimas de João de Deus e celebridades que eram próximas ao médium, como Xuxa Meneghel e Marcos Frota.

‘Em Nome de Deus’ tem como ponto de partida as investigações que levaram, com exclusividade, às primeiras denúncias feitas no programa ‘Conversa com Bial’, em 2018. Na época, mulheres revelaram que foram abusadas sexualmente pelo médium João Teixeira de Faria, o João de Deus, ao buscar tratamento espiritual em Abadiânia, interior de Goiás. Após a exibição do programa, centenas de outras denúncias contra o curandeiro foram registradas, ao mesmo tempo em que crescia a repercussão e a perplexidade em torno do caso. Em questão de dias, João de Deus foi indiciado e, posteriormente, condenado.

Os crimes
O documentário trata de revelar a vida paralela do ex-líder espiritual, a sua ampla rede de proteção local e a denúncia de crimes graves, envolvendo lavagem de dinheiro e homicídio, desde as primeiras apurações de Camila Appel para o ‘Conversa com Bial’ até a prisão domiciliar de João de Deus, em março de 2020. A série acompanha ainda o passo a passo investigativo da equipe no Brasil e no exterior, em viagens para Holanda e Estados Unidos, revelando supostos crimes cometidos bem distantes de Abadiânia. O documentário também analisa a popularidade dos curandeiros espirituais no Brasil e revela a decepção de celebridades e de pessoas próximas a João de Deus.

‘Em Nome de Deus’ também conta com relatos de vítimas do médium – entre elas, a filha de João de Deus. O estúdio onde foi gravado a edição do ‘Conversa com Bial’, que deu início às denúncias, foi também o palco do primeiro encontro destas mulheres, que, emocionadas, se reuniram para contar as suas histórias. “Ficamos mais de oito horas ali, em dois dias diferentes. Foi uma experiência emocionante e, apesar do nível de terror de tudo aquilo, uma experiência muito mais bonita do que triste. De esperança”, revela Camila Appel.

Deixe um comentário